Início Carros 4 Cilindros O poderoso Chevette Turbo

O poderoso Chevette Turbo

8792
Compartilhar

Perfeição sobre rodas

Você há de convir comigo, este Chevette é do
Car! @%lhooooooooo!!!

Foto e Texto: Sidney Filho

Podem confessar, uma pequena parcela de nós viventes há oito ou 10 anos não imaginaria que o pacato e saudoso Chevrolet Chevette fosse virar o jogo, não é mesmo? Antes o pequeno GM, por muitas e muitas vezes taxado de primo caçula do poderoso Opala, pouco inspirava algo mais radical, a não ser em dias de chuva e nas estradas rurais, num formato primitivo de drift dos anos 80.

Porém como tudo tem seu tempo e seu lugar no espaço, o modelo de entrada da Chevrolet nas décadas de 70 e 80 começara a invadir as ruas com versões preparadas com inúmeras combinações mecânicas, já que o motor original do carro não permite grandes mudanças de cilindrada e até então eram poucas as opções de peças que suportassem maior potência.  As combinações eram das mais radicais, algumas delas sofrendo mutações genéticas e transplante de órgãos, recebendo do popular motor VW AP e indo parar no inesperado propulsor Fivetech do Fiat Marea.

Depois de muita volta e rodeio, vamos falar da estrela do show, o Chevette que faz o Facebook parar a cada nova postagem de Marcelo Cardoso, seu proprietário e idealizador, construtor, preparador, funileiro, cuidador e mantenedor do bólido com 1991 como ano de fabricação.

Marcelo foi um dos que ganhou vez e voz quando o Chevette começou a quebrar tabus e mostrar que era possível construir um carro forte, rápido e resistente mantendo o bom e velho motor 1.6S, popularmente conhecido como OHC. Marcelo é mecânico de profissão em Porto Alegre/RS e desde pequeno sempre teve uma simpatia por este modelo e assim foi se aperfeiçoando, iniciando os trabalhos em casa mesmo, tendo como primeiro projeto o carro do irmão e daí para frente a história foi só de evolução e constante desenvolvimento.

Antes desta máquina, Marcelo possuía um modelo Tubarão ano 1977, que foi uma importante ponte para a construção deste projeto atual, o carro contava com um motor turbo e uma montagem também primorosa. “Meu sonho sempre foi ter um carro de corrida, por isso acabei vendendo meu primeiro Chevette, pois tinha turbo legalizado no documento e uma excelente estrutura, o que tornou a venda mais interessante do que trabalhar toda a estrutura daquele carro.” Comenta Marcelo.

 

Para chegar neste nível, o carro foi completamente refeito e muito bem feito ao longo de cinco anos, e tudo minuciosamente montado na oficina construída na garagem da casa de Marcelo, nos horários alternativos e nos finais de semana, com muita dedicação e a ajuda de grandes amigos, em especial Christian Quiles, também fanático pelo pequeno Chevrolet. O carro só saiu para a construção do chassis realizado na Manara Soldas e Estruturas Automotivas, do resto tudo padrão “professional homemade”. Carro impecável de todos os lados, por cima, por baixo, por dentro, por fora…

O proprietário conhece literalmente tudo do Chevette 77, desde a pintura, acabamentos até a montagem de motor, câmbio e diferencial, tudo literalmente tudo passou pela suas mãos. “Passei noites acordado, abri mão de muitas outras coisas para chegar até aqui e não foi em vão, já me fizeram propostas de compra, mas este é o meu sonho. É muito mais do que dinheiro envolvido, é satisfação de saber que fiz o melhor”. Relata o proprietário.

 

Hoje este Chevette conta com um motor com 1.775cc, uma combinação de pistão forjado com 83mm cabeça plana, bielas forjadas e virabrequim forjado, todos os componentes desenvolvidos pela Susin Francescutti, o conjunto trabalha com 10,5:1 de Taxa de compressão e para poder girar sem grandes riscos de quebra, utiliza uma bomba de óleo externa Indutech Billet Parts. Para deixar o bloco do motor mais resistente, um plate de reforço com 21mm de espessura, feito em alumínio dural, com placas de reforço também na frente bloco.

O gerenciamento do conjunto é realizado por um módulo FT500 da FuelTech, são oito bicos injetores, sendo quatro Siemens Deka de 80lbs/h na primeira bancada e mais quatro de 160lbs/h na segunda bancada, pulverizando metanol para dentro do cabeçote preparado pela Synetic Cabeçotes Especiais, o coletor de Admissão é um Plenum by Edi Drag Racing com pressurização e intercooler da mesma marca. No escape um coletor em Inox com um Turbo Precision 6262 com rotor e eixo de 62mm ambos. A pressão é regulada por uma wastegate Precision Turbo com 50mm, acionada por CO2 com um mapa feito por um Boost Controller 2.

Na ignição, com roda fônica, são quatro bobinas VW/Audi  e velas Iridium para a queima da mistura, que é enviada para a linha de combustível através de uma bomba mecânica Indutech, ligada junto à bomba de óleo externa.

Para suportar a nova fase de potência e fazer o carro andar rápido e constante, toda transmissão foi reconstruída. O Chevette recebeu um câmbio Clark 260-F, o famoso Câmbio de Dodge, com engrenagens forjadas com engate rápido e diferencial Dana 44 com blocante Spool e pontas de eixo forjadas. A embreagem é uma Displatec Multidisco.

A suspensão dianteira permaneceu com a montagem original, recebeu amortecedores a gás e novas molas. Na traseira, uma Ladder bar, com amortecedores QA1 com duas regulagens.

 

Ver a ficha técnica do carro e a perfeição na montagem é algo que inspira, mas tudo isso de nada serviria se por trás deste projeto não tivesse um cara tão apaixonado e focado em um propósito como Marcelo Cardoso. Este cara merece todo o nosso reconhecimento, e todos os louros da vitória diante da construção deste carro.

Marcelo é um cara de fibra, que não ficou parado esperando acontecer, foi atrás para desenvolver tudo, viajou inúmeras vezes até as empresas que customizaram peças que até então não existiam para esta mecânica, fez um curso ministrado pela FT Education para conseguir instalar e acertar todo o sistema de gerenciamento do carro, trocou experiências com Valdenir de Borba, o Véio, do Chevette FLT 197 e hoje é aclamado em todo o Brasil por alcançar êxito em sua obra prima. Recentemente no Velopark, o carro cruzou os 201m da pista em 6s408 com parciais de 1s5 de 60pés e 4s1 em 100m. Sendo até então o Chevette montado com motor OHC e pneus radiais mais rápido do Brasil.

Nós como RACEMASTER, veículo de imprensa  não temos como hábito emitir opiniões, mas eu Sidney Filho, como entusiasta e apaixonado por carro preparado, não posso deixar de registrar minha admiração pela obra em todo seu contexto. Uma humildade incrível por parte do proprietário, uma força de vontade contagiante e na minha modesta opinião, o Chevette mais bem montado do país. Que apesar de todos os obstáculos que surgem em construir e desenvolver um carro deste padrão, o propósito nunca foi abandonado, que sirva de exemplo para quem também almeja alcançar seu sonho.

Marcelo, que este carro te traga muito mais do que vitórias na pista, te traga muita felicidade, verdadeiros amigos e principalmente que te conserve essa humildade, que serve de exemplo para todos que tem o prazer e satisfação de conviver com você.

Curtiu o projeto? Quer bater um papo com o Marcelo e conhecer ainda mais o seu carro? Procure no Facebook como “Marcelo Y Juju” ou mande seu email para revista@racemaster.com.br para ter conseguir o WhatsApp e contato direto desta fera!!!

Deixar resposta