Início Carros 4 Cilindros Chevette Hatch – Turbo!

Chevette Hatch – Turbo!

11
Compartilhar

Elemento Surpresa

Sempre tem aquele carro que vem para perturbar o sossego de quem está na ponta. Em cidade pequena então, a situação é ainda mais delicada. Em Maringá/PR, onde encontramos com este Chevette não é diferente. O carro foi apenas três vezes à pista e já virou um tempo que nem mesmo a equipe esperava que viesse tão rápido.

A equipe responsável pela montagem do foguete é a Schiavon Racing, chefiada por André Tiririca. A oficina também é responsável pelo Astra DT-A 300 pilotado por Juninho Menegatti, o único no país a romper a barreira dos 300km/h. Segundo Tiririca, o projeto do Chevette já vem sendo idealizado há anos e foi montado para os 201m da categoria Turbo Traseira.

O carro pertence a Paulinho Martinelli, que também possui um Fusca Força Livre e em breve ganhará as pistas. Em conversa com o proprietário, pelos equipamentos que o carro tem, o tempo de 6s3 conseguidos na pista do Race Park, já foi uma grande conquista, porém os loggers mostram que ainda é possível alguns ajustes eletrônicos que irão melhorar com certamente uns dois décimos neste tempo.

Embora, alguns puristas prefiram o motor de Chevette, aqui o motor VW AP caiu como uma luva. O carro foi montado com um motor 1.9L 8V de fluxo cruzado e bloco alto. O propulsor possui pistões Iasa de 83,5mm e Bielas de Alumínio BME de 159mm, virabrequim é do 1.8 e possui 86,4mm de curso. Bomba de óleo Unibombas e volante original do Mi, que é um pouco mais leve em relação aos que saíram nos AP Carburado. Para suportar altas cavala.rias, foi instalado reforço de bloco da Panas Racing junto aos mancais

O cabeçote foi preparado pela Stumpf Cabeçotes e possui válvulas em Inox com 40x35mm, comando de válvulas Carlini Competizione W7. A junta de cabeçote é do Golf Original VW. Trabalha com10,5:1 de taxa, queimando metanol.

O coletor de escape é um Shalom Escapamentos Especiais, o Turbo é um Garrett GT 4094 que empurra 3,6bar regulados por uma Wastegate FTX. A pressurização foi feita pela Nesi Power da boca da caixa fria até o corpo de borboleta do Omega. O coletor de admissão original foi adaptado para 8 bicos também pela Nesi Power.

Oito injetores de 160lbs/h alimentam o motor. O gerenciamento da injeção é feito por uma FT400 que também faz o mapa de ignição. Uma bobina original Chevrolet de 4 saídas é quem envia as faíscas para as velas NGK V-Power.

Na transmissão, um câmbio Recuperg com quatro marchas de engate rápido, embreagem Displatec e Diferencial Dana 44. As pontas de eixo são originais e tem aguentado o tranco. A suspensão dianteira foi modificada pela própria equipe e a traseira é uma Four Link by Nesi Power.

O carro ainda tem algumas coisas a serem acrescentadas, como  o Gear e o Boost Controller, além de novos pneus de maiores dimensões. O que certamente trará melhor dirigibilidade e mais potência. Durante a entrevista a equipe não fez nenhuma estimativa de tempo com o projeto passando por estes upgrades, mas com certeza irá melhorar significativamente. Só com as trocas de marcha sem o uso da embreagem e um mapa de pressão de turbo, o negócio promete ficar interessante.

Enquanto isso, o carro segue surpreendendo com a receita na medida certa para o Hatch da Chevrolet. Um projeto deste é interessante de se acompanhar. Para você que gosta de tração traseira quatro cilindros, ai está uma excelente ideia. Um carro rápido e com um grande futuro pela frente.

 

Deixar resposta